19 mar 2014 , por

Façamos

Um presente inesperado, sem identificação, que é deixado na portaria é a base para a crônica "Façamos", interpretada por Elza Soares e Chico Buarque, de Cole Porter

Sábado de manhã, toca o interfone.


— Dona Fátima,  tem uma encomenda aqui para a senhora. — disse o porteiro da escala do final de semana.


— Encomenda? De quem é?


— Não sei, o motoboy acabou de sair daqui. Deixou uma caixa de papelão e parece ter algo leve dentro.


— Vou descer para pegar. Obrigada, Jorge.


A curiosidade de Fátima a fez apertar os botões dos dois elevadores e descer o mais rápido que pudesse. Durante o caminho não pode deixar de pensar em que tipo de coisa seria. Um presente de um admirador secreto seria ótimo para sua autoestima naquele momento.


Não namorava ninguém há quase dois anos e o último namorado era de uma falta de [...]

27 fev 2014 , por

Haiti

O Haiti é aqui. Somos quase todos pretos, mesmo brancos e quase pretos. Crônica inspirada na música de Caetano Veloso e Gilberto Gil, "Haiti"

Ele não acordou num bom dia. “Que se foda essa porra toda”, pensou antes mesmo de abrir os olhos. Cansado de tudo e de todos, começou o seu plano para mudar o mundo.


Não o mundo todo, só o mundo que ele conhecia. O que era muito diferente daquele que ele via na televisão, onde as pessoas tinham uma família bacana, comiam carne todo dia, moravam em casas amplas e com direito a piscina, sempre com um ou mais carros importados na garagem.


João Pedro, o “Jão”, decidiu que não queria mais ser preto. Preto. Neguinho. Era assim chamado quando alguém queria mostrar-lhe o seu lugar, como se realmente ele tivesse o privilégio de ter algum lugar para ele.


Não [...]

19 fev 2014 , por

Sob medida

A rotina de um casal de religiosos é alterada pela chegada de uma cunhada. Crônica baseada na música "Sob medida" de Chico Buarque, na voz de Fafá de Belém

Casaram-se em uma cerimônia discreta, mas com muita alegria. Jussara e Amilton ainda  seguiram o protocolo da orientação religiosa que tinham e chegaram a noite de núpcias sem qualquer tipo de experiência sexual anterior, coisa rara nos dias de hoje.


Haviam se conhecido há alguns anos na igreja evangélica que frequentavam, ali próximo aos trilhos da Mooca, bairro bucólico da capital paulista. Foi aquela coisa de paixão a primeira vista.


Assim que a avistou, mesmo sem falar uma palavra, Amilton decidiu que ela seria sua esposa. Ambos de famílias simples e muito jovens. Ele não tinha mais do que vinte anos e ela, dezesseis.


Sobre o rapaz pesava o fato de ser filho do pastor e ter que servir de [...]

10 fev 2014 , por

Não existe pecado ao sul do Equador

O mistério que envolve a castidade de uma mulher é a base para a crônica "Não existe pecado ao sul do Equador", homônima à música de Chico Buarque e Ruy Guerra

Eram colegas de faculdade, Anderson e Viviane, há cerca de três anos. Estudavam no mesmo campus, porém em turmas diferentes. O rapaz estava no final do curso de direito, sua segunda faculdade, logo após ter se formado em administração. Já a moça tinha na cadeira de marketing a sua primeira diplomação.


Conheceram-se em uma daquelas festas para arrecadar recursos para a formatura, com direito a bebida a vontade, o que deixava os participantes mais alegres do que o normal.


Anderson não tinha nada de tímido, assim que avistou seu alvo, fez questão de deixar claro que havia gostado do que tinha visto. Encarou-a da cabeça aos pés, exatamente nessa ordem, prestando atenção nas formas bem feitas de Viviane.


O constrangimento [...]

30 jan 2014 , por

Deus lhe pague

Uma menina sai das ruas para viver em uma mansão, mas paga um preço alto pelo conforto. Crônica baseada na música "Deus lhe pague" de Chico Buarque.

Valmir havia ficado viúvo há pouco tempo, teve a infelicidade de perder a batalha contra o câncer de sua esposa. Um tipo raro que levou anos para levá-la e que o fez adoecer junto ao viver entre idas e vindas de hospitais.


Como era distante da família e não teve filhos, acabou tomando todos os cuidados ele mesmo. Ao menos, recursos não lhe faltaram. Era advogado muito bem sucedido e durante sua carreira conseguiu guardar uma pequena fortuna para dias difíceis.


Mesmo após alguns anos de sua perda continuava atordoado. Não se empenhava mais em casos, estava sempre com aspecto sujo, até a barba crescer ele deixou, coisa que não admitiria em sua boa fase.


Em uma das tardes, a [...]